Facebook
0800 643 2499
 SMS 27800  

SOLICITAÇÃO PARA ANÁLISE DE PROJETOS



A presente orientação tem por objetivo estabelecer as diretrizes técnicas para a análise de projetos, bem como estabelecer os requisitos mínimos indispensáveis para as instalações elétricas das unidades consumidoras. Observar as normas: FECO D02, FECO D04 e FECO D06.  

Os projetos previamente elaborados, conforme orientações abaixo, devem ser encaminhados para o  e-mail [email protected] 

 
 
 ORIENTAÇÕES E SUGESTÕES PARA ANÁLISE E VIABILIDADE  DE PROJETO ELÉTRICO PARA LIBERAÇÃO  
 
1. Nossa análise se limita apenas a entrada de serviço de energia elétrica do consumidor, sendo que a mesma deve estar dentro das normas de ABNT e Cerbranorte, não cabendo a esta qualquer responsabilidade pelas instalações elétricas após o ponto de entrega.

2. A CERBRANORTE se exime de qualquer responsabilidade sobre a quantidade e qualidade dos materiais a serem aplicados/utilizados nas instalações.

3. A ART deve possuir as atividades técnicas, quantidades e unidades compatíveis com o projeto. Incluir: ramal de entrada, medição, proteção, aterramento.

4. O diagrama unifilar deve ser apresentado a partir da rede da CERBRANORTE, conforme orientações contidas nas FECOs.

5. Toda instalação deverá ser provida de condutor de aterramento (conforme NBR 5410).

6. Apresentar apenas o projeto do padrão de entrada de energia, incluindo itens necessários ao seu dimensionamento.

7. Deverá ser previsto local para aprovação do projeto (carimbo de aprovação), na parte superior do selo da(s) prancha(s).

8. Em ramal de entrada aéreo, projetar cabo multiplexado de alumínio apenas. A CERBRANORTE não utiliza cabo multiplexado de cobre.

9. Toda tubulação subterrânea deverá ser instalada conforme a norma NBR 5410.

10. Toda documentação que compõem o projeto, deve ser devidamente encadernada, incluindo: memorial, plantas, ART, consulta prévia, lista de material, etc.

11. Toda instalação deverá ser provida de proteção contra corrente de fuga a terra (dispositivos DR), de alta sensibilidade, conforme determina a NBR 5410.

12. Apresentar na consulta prévia e na planta de localização/situação a distância do poste da distribuidora ao quadro de medição, a posição exata do local da medição em relação à via pública/limite do terreno e a edificação, conforme orientação da FECO.

13. Em caso da não liberação do projeto, uma via do mesmo poderá ser retida, facilitando a nova análise, sendo devolvida posteriormente junto ao projeto liberado.

14. Os projetos deverão ser entregues em duas vias, sendo uma devolvida e outra ficará na CERBRANORTE. Não será recebido projeto em uma única via.

15. Sugerimos folha inicial (capa) do projeto contendo: dados básicos da obra, proprietário, responsável técnico e local para carimbo de liberação (aprovação).

16. O selo da prancha deverá conter no mínimo: dados da obra, especificação da prancha, proprietário, responsável técnico com respectivo número do CREA e assinatura do responsável técnico e proprietário em local próprio.

17. No caso do atendimento a edifício de uso coletivo, o projetista deverá sempre verificar a coordenação da proteção geral em relação à proteção das unidades consumidoras, principalmente em pequenas unidades habitacionais. Caso seja necessário alterar a proteção, deverá ser justificado no projeto.

18. A consulta prévia terá validade por seis (6) meses.

19. O projeto liberado terá validade por dois anos (24 meses). Após este prazo, o mesmo deverá ser encaminhado novamente para análise.

20. CONSUMIDORES DO GRUPO A, QUANDO FOR LIGAÇÃO NOVA, Carta de apresentação de solicitação de ligação nova, informando o tipo de tarifação solicitada e a respectiva demanda contratada de ponta e fora de ponta com a respectiva ART (anotação de responsabilidade técnica) do responsável técnico pela execução. Solicitar também os equipamentos de medição (TC’s e TP’s) para a devida instalação.


 

21. Anotação de Responsabilidade Técnica (ART) apresentando, no mínimo, os seguintes códigos de classificação de atividades (Conforme Manual de Procedimentos do CREA –SC): 

B0316 – ramal de entrada de energia elétrica. De acordo com as características das instalações: 
B1105 – instalação elétrica em baixa tensão para fins industriais e/ou; 
B1106 – instalação elétrica em baixa tensão para fins residenciais ou comerciais. De acordo com as características da medição: 
B1119 – instalação residencial ou comercial em baixa tensão com medição única; ou 
B1120 – instalação residencial ou comercial em baixa tensão com medição coletiva.

Cada código de atividade acima deverá, obrigatoriamente, ter descrito no campo da ART, atividades técnicas, constar a unidade: Tensão (V) e Potência demandada (kVA)

 

Em caso de dúvidas, entre em contato com nosso departamento técnico através do telefone  0800 643 2499.